Série Liderança no dia a dia #2 Comunicação eficaz: a escuta ativa e a empatia


13 Nov
13Nov

Líderes precisam aprender a ouvir, a observar tendências e a perceber as necessidades de outras pessoas. A mais importante, a mais difícil e mais negligenciada das habilidades na comunicação é o ouvir, pois requer que nos concentremos nos significados, nas palavras não ditas e nas expressões das pessoas.

A habilidade empática ou empatia faz parte do conjunto de habilidades sociais indispensáveis para o bom relacionamento social.

Empatia refere-se à capacidade de perceber os sinais não verbais, relativos a estados emocionais de outras pessoas (Reivich e Shatté, 2003) e é uma das cinco habilidades da inteligência emocional (Siqueira, Barbosa e Alves, 1999), aquela que trata da facilidade para identificar sentimentos, desejos, intenções, problemas, motivos e interesses dos outros, por meio da leitura e da compreensão de comportamentos não verbais de comunicação, tais como expressões faciais, tom de voz e postura corporal.

Mas como é que praticamos a empatia?

Mais do que uma ferramenta de comunicação, a escuta ativa é um método que ajuda a desenvolver a empatia.

Para começar a praticar a escuta ativa, fique atento a estes comportamentos:

·        Enquanto a outra pessoa fala, pare de pensar e concentre-se em ouvir o que a pessoa diz e o que ela não diz.

·        Deixe a outra pessoa continuar o seu discurso sem quebras ou oposição sistemática.

·        Quando a pessoa terminar de falar, espere alguns segundos, evitando quebrar o silêncio. Assim você pode levá-la a dizer mais do que tinha a intenção de contar.

·        Sem emitir julgamentos, mostre ao outro que o que ele disse foi entendido. Isso se chama espelhamento (ROGERS, 1966).

Praticando assim, você desenvolve também a sua capacidade de ir além das suas crenças e dos seus preconceitos, de ser paciente, entender o ponto de vista do outro, ficar focado no assunto, evitar as distrações e encontrar uma solução favorável para todos.

As suas capacidades de gerenciar você mesmo e os outros e de adaptar-se em situações ambíguas e de incerteza são essenciais para melhorar as competências interpessoais que são fundamentais para a sua liderança ser mais eficaz.

* Cristina Goldschmidt é Sócia-Diretora da Consulting CG, onde atua como consultora e  trainer nas áreas de desenvolvimento de capital humano e organizacional e como senior coach. Professora convidada dos MBAs na Fundação Getúlio Vargas (FGV) nas disciplinas: Construção de Equipes de Alto Desempenho, Papéis e Atuação do Líder, Liderança e Motivação, Comunicação Interpessoal, Delegação, Empowerment e Equipes, Gestão de Pessoas - Aspectos Funcionais, Modelagem Organizacional e Desenvolvimento de Carreira, dentre outras. Pesquisadora de Resiliência, Diversidade, Envelhecimento e Carreira. Mestre em Gestão Empresarial e MBA em Gestão de Projetos pela FGV, e graduada em Direito pela UCAM e em Letras pela UERJ.


Comentários
* O e-mail não será publicado no site.