IMPRENSA

PORTAL EMPREGOS.COM – Plano de Desenvolvimento de Carreira: por onde começar?

29/03/2017

O mercado está mudando. O que você precisa fazer para se destacar nele? Quais são os passos para alcançar o sucesso? 

Nos últimos anos, as rápidas mudanças no mundo do trabalho acarretaram em diversas consequências para o desenvolvimento da carreira.

Assim, é preciso que cada pessoa perceba a necessidade de desenvolver um papel cada vez proativo na gestão da sua carreira, que desenvolva as suas oportunidades e opções, tendo em vista os objetivos que definiu para si.

Isto implica que o profissional deve criar um conjunto de habilidades e comportamentos, objetivando o caminho que deseja e procura alcançar.

Em suma, é esperado que ele – e não a organização – assuma cada vez mais responsabilidade pelas decisões de carreira e pela avaliação do sucesso delas.

Nesse contexto, é evidente a demanda exercida sobre os profissionais e suas atitudes quanto ao desenvolvimento de suas carreiras, e do papel a ser assumido por eles no processo.

Só que:

-> O desejo por uma carreira que ofereça maiores perspectivas de crescimento;

-> A falta de sentido naquilo que faz, a insatisfação com o líder ou com a empresa;

-> O sentimento de que sua escolha profissional não explora seus verdadeiros talentos.

Costumam ser os principais fatores que levam as pessoas a despertarem para a necessidade de ter um plano para suas carreiras.

Além desses, muitas vezes, as pessoas são “despertadas” por outros fatores, como por exemplo:

• Estresse e busca por qualidade de vida: a falta de tempo com a família e o estresse excessivo comum em algumas profissões.

• Crise: mudanças estruturais no mercado, ainda que pontuais e motivadas por crises, podem induzir diversos profissionais a terem que se adaptar a novos contextos.

• O avanço tecnológico: a evolução tecnológica faz com que novas profissões surjam e algumas outras profissões desapareçam. Além disso, os avanços tecnológicos fazem com que o trabalho a ser realizado no dia a dia seja totalmente diferente e exija novas habilidades.

• O limite de idade: é o caso dos atletas, que são profissionais expostos a um limite natural que os impede de seguir na mesma profissão a vida toda.

É preciso se atentar para a realidade: temos hoje um ambiente externo turbulento e instável em função da integração global, que demanda das pessoas nas organizações respostas rápidas, que se mostrem em entrega de valor aos clientes, acionistas e sociedade.

Esse contexto impõe maior flexibilidade, maior capacidade de respostas rápidas às demandas de um mercado altamente competitivo, caracterizado por rupturas tecnológicas e por processos de criação de valor econômico dependentes de desenvolvimento contínuo para atender às demandas de mercado, atuais e futuras.

As habilidades que levam à adaptação criativa, construtiva e sustentável em face da incerteza e da mudança no mundo dos negócios tornaram-se mais que um diferencial, tornaram-se competências essenciais.

Além de ter que se ajustar à mudança, os profissionais devem promovê-la na organização e também devem saber trabalhar em ambientes imprevisíveis.

Assim, lidar com incerteza, ambiguidade, adversidades, gerenciar múltiplos fatores de estresse, manter o foco e o equilíbrio emocional, desenvolver pessoas, resolver conflitos passam a ser competências necessárias para aqueles que trabalham.

O foco tradicional da sociedade, nesse campo, tem recaído sobre o desenvolvimento de habilidades técnicas/tecnológicas e intelectuais nas muitas áreas do conhecimento e do mercado.

Elas são, de fato, base indispensável para atuar na vida competitiva, contudo, o aumento da disponibilidade de informação, assim como o número cada vez maior de gente especializada, criou uma situação nova: pessoas e empresas passam a se diferenciar a partir de outras dimensões.

Competências como integridade, comunicação, cortesia, responsabilidade, habilidades sociais, atitude positiva, flexibilidade, trabalho em equipe, ética de trabalho, dentre outras, são requeridas até mesmo para as posições mais orientadas para a tarefa.

É preciso desenvolver as habilidades necessárias para essa nova realidade, sem ficar à mercê do aprendizado meramente na prática, à custa de prejuízos, desgastes emocionais e desperdício de recursos.

A base para um desenvolvimento sustentável está na educação contínua e permanente, tanto para a formação de empreendedores, gestores e profissionais, quanto para o deslocamento de profissionais para novas áreas de atuação.

O desenvolvimento de carreira pressupõe novos aprendizados, desenvolvimento de novas competências e preparação para lidar com novas situações. A palavra-chave em desenvolvimento de carreira é planejamento.

O melhor momento é aquele em que a sua preparação encontra a oportunidade, portanto, comece a tratar a sua carreira de forma alinhada a seus valores e reformule o seu modelo mental para desenhar objetivos profissionais para toda a sua vida profissional.

Para dar passos seguros rumo ao sucesso na carreira, é preciso que cada escolha faça parte de um plano com objetivos bem definidos.

E, para um plano de desenvolvimento bem estruturado, é importante observar os seguintes passos:

 

1º passo

É preciso entender o que buscamos a curto, médio e longo prazo; nem sempre a solução imediata é a que trará um resultado sustentável. E a maioria das pessoas ainda não despertou para a importância de pensar em médio e longo prazo.

 

2º passo

É necessário identificar se o que se deseja é evoluir para posições mais complexas, uma mudança de área de atuação dentro de uma mesma profissão ou algo mais radical, em outra área.

É importante essa investigação, pois ajuda a identificar a verdadeira identidade e os verdadeiros talentos, bem como os fatores que mais pesam nas decisões a tomar.

Independentemente do que se deseja, mudança é a palavra de ordem no plano de desenvolvimento de carreira. Não há evolução sem mudança.

 

3º passo

Deve-se pensar nos recursos para a mudança, estabelecer as bases para, por último, executar a mudança de fato.

 

4º passo

Entender como deseja atingir os objetivos de curto, médio e longo prazos e avaliar oportunidades e mercados que satisfaçam seus critérios.

É importante ponderar que deixar de exercer uma atividade na qual já se tem experiência e conhecimento para se lançar para outras oportunidades não é algo que acontece da noite para o dia.

 

* Cristina Goldschmidt é Sócia-Diretora da Consulting CG, onde atua como consultora e trainer  nas áreas de desenvolvimento de capital humano e organizacional. Também é Coach Senior credenciada PCC – Professional Certified Coach.Docente dos MBAs na fundação Getúlio Vargas (FGV) onde também é professora-autora do curso Pós Adm, além de lecionar disciplinas de Gestão de Pessoas em outras instituições de ensino superior. Possui Mestrado em Gestão Empresarial pela FGV e MBA em Gestão de Pojetos pela FGV. É graduada em Direito pela UCAM e em Letras pela UERJ.

** Artigo de Cristina Goldschmidt originalmente publicado no Portal Empregos.com, em 29/03/2017.

Link Portal Empregos.com: https://carreiras.empregos.com.br/mercado/plano-de-desenvolvimento-de-carreira-por-onde-comecar/


Comentários fechados para este post.